Entrevista Insider: Ricardo Hoineff, dos cenários aos cristais da boêmia

Em Praga há 25 anos, ele conhece a cidade e o país como nenhum outro brasileiro e tem uma dica ótima sobre arte em vidro
Notícias e curiosidades  /   /  Por Gabe Britto

Quando eu morava em Praga, o cenógrafo, diretor de arte em TV e artista plástico brasileiro Ricardo Hoineff era praticamente uma entidade divina, um sábio, um Mestre dos Magos para os conterrâneos perdidos naquela nação ainda tão nova.

Era o ano 2000 e Ricardo vivia na cidade desde 1991. Até onde eu sabia, era o brasileiro mais experiente no país, com conhecimento acumulado suficiente para iluminar todas as dúvidas em português. E ele ainda falava tcheco fluentemente, uma raridade entre os estrangeiros desde sempre.

Hoje, 25 anos depois da chegada, Ricardo é um profissional reconhecido na República Tcheca, com prêmios europeus importantíssimos (um deles foi o primeiro da história recebido por uma TV do país) e já fez uma exposição de suas obras em cristal – atividade que começou a aprender apenas em 2010.

Ricardo Hoineff, Praga

Ricardo hoje: ainda com pinta de sábio (foto: arquivo pessoal)

Por toda esta história em Praga, convidei o Ricardo para abrir uma série de pequenas entrevistas que pretendo fazer ao longo de sei lá quanto tempo, com brasileiros e tchecos. Ele gentilmente aceitou (obrigado, Ricardo!) e conversamos por telefone enquanto ele passeava com o Dingo, seu cachorro, no parque atrás da sua casa.

Aliás, ele só fala com o Dingo em tcheco.

 

Como e quando Praga entrou na sua vida?

Foi em 1989. Eu estudava Cenografia na UFRJ (Rio) e já trabalhava como assistente de cenografia e figurino, mas vi que o curso não recebia investimentos e não iria melhorar. Então o Collor foi eleito e eu queria sair do Brasil. Pedi uma bolsa na faculdade de teatro de Praga (DAMU), mas demorou muito e eu resolvi vir na cara e na coragem graças à pilha que minha mãe me colocou e que eu agradeço a ela até hoje. No fim acabei ficando.

 

Em que região da cidade você mora e o que mais gosta nela (na região)?

Eu moro no bairro Smíchov e eu amo os parques dele, que são sempre vazios e calmos. Isso é uma das melhores características de Praga: ela é muito verde, tem muitos parques.

Bairro Smíchov, Praga

Localização e tamanho aproximado do bairro Smíchov, com a estação de metrô Anděl em destaque: os pontos amarelos são as principais atrações de Praga

 

Qual é seu restaurante preferido em Praga?

É complicado escolher apenas um, porque Praga tem muitos lugares bons. Mas de forma geral eu gosto muito de cervejarias e frequento mais o restaurante/cervejaria Potrefená Husa que fica perto da minha casa, no prédio da fábrica da cerveja Staropramen.

Restaurante Potrefena Husa na fabrica da Staropramen, Praga

O Potrefená Husa, ali nos toldos marrons

 

Qual é seu parque preferido?

O que fica atrás da minha casa, mas não vou dizer o nome para não perder a paz, hahaha!

 

Qual é o seu bar preferido?

Eu gosto de um clube esportivo em Smíchov onde vamos depois de passear no parque. O nome é DTJ Santoška, existe desde 1901 e tem um prédio antigo onde servem cerveja. Outro lugar que gosto é o Q Café, na Cidade Nova.

 

Pilsner Urquell, Staropramen, Budweiser Budvar ou vinho morávio?

Prefiro a cerveja Cvikov, de uma fábrica pequena, no norte do país, perto da Alemanha. Ela existia desde os anos 1500, mas fechou no comunismo e só reabriu em 2014. Eu também gosto do vinho pálava, típico da República Tcheca.

Cerveja Cvikov

Pessoal aproveitando a sua Cvikov (foto: Pivovar Cvikov)

 

Qual é o primeiro lugar aonde você leva um amigo que está visitando a cidade pela primeira vez?

Levo para o castelo e, enquanto ainda dá tempo, para ver a exposição A Epopeia Eslava, de Alfons Mucha.

Vista do castelo de Praga a partir do mirante do Mosteiro de Strahov

O castelo visto do Mosteiro de Strahov

 

Você é uma pessoa ligada em arte. Qual é o lugar que você mais gosta na cidade, relacionado a este assunto?

Na verdade não é um lugar em Praga, é uma região a mais ou menos 1h30 daqui, onde estão a cidade de Nový Bor e vários vilarejos próximos (Kamenický Šenov, Lindava, Cvikov, Skalice…). É o centro de produção de vidro e cristal da República Tcheca desde o século 14 e tem várias galerias, museus fantásticos e oficinas de vidro onde é possível fazer visitas.

Quem gosta desta arte precisa ir para a região, até porque os arredores também são lindos, têm paisagens incríveis, cânions, rios e parques protegidos, mas tudo ainda pouco explorado pelos turistas – exceto pelos alemães e holandeses, que chegam a alugar casas e passam as férias inteiras lá.

Nový Bor vista de cima, República Tcheca, Tchéquia

Nový Bor vista de cima (foto: Zákupák, domínio público)

Para saber mais sobre o trabalho do Ricardo, acesse o site dele.

 

As indicações do Ricardo

• Restaurante Potrefená Husa: é uma rede de bares/restaurantes/cervejarias da própria fabricante de cervejas Staropramen e existem várias filiais em Praga. Esta que o Ricardo prefere é o Potrefená Husa Na Verandách, que fica na rua Nádražní 43/84, metrô Anděl (linha B, cor amarela) e parada de bondes Na Knížecí.

• Clube DTJ Santoška: é bem fora de mão para o turista, mas se você quiser conhecer, o ônibus é o 137. Você pega estação inicial Na Knížecí (ligada ao metrô Anděl – linha B, cor amarela) e desce na parada Václavka. Fica na rua Xaveriova 2.

Q Café: rua Opatovická 166/12, Cidade Nova (Nové Město). Para ir, pegue o metrô e desça na estação Národní třída (linha B, cor amarela).

• Cvikov: você encontra a cerveja preferida do Ricardo em alguns lugares de Praga. Veja a lista aqui. (Ela está em tcheco, mas você só precisa do endereço.)

A Epopeia Eslava, de Alfons Mucha: clique no nome para ver o post com informações.

 

• Nový Bor e região

A maneira mais fácil de ir é alugar um carro (para poder circular entre os vilarejos) mas também dá para ir de trem, numa viagem que dura no mínimo 2h30, exige uma troca rápida e custa ao redor de 370 CZK por pessoa, ida e volta. Você pode comprar suas passagens no site da companhia de trens tcheca.

Outra opção fácil é ir num carro com motorista da Prague Airport Transfers. Clique no link e entre em contato com eles para orçar.

Se quiser passar a noite na cidade, o Booking tem algumas opções de hotel e pousada em Nový Bor. Para ver mais, procure na página de turismo da região.

Para visitar uma oficina de vidro, agende na Ajeto Glassworks.

 
Este post tem links para parceiros do blog. Clique aqui para conhecer a política de parcerias do Insider Praga.
Sobre o Autor

3 Comentários
 
  1. Gisele Groth 18 de agosto de 2016 at 6:45 pm Responder

    Que legal. Ricardo é um querido, gente boa. Morei dois anos e meio em Praga e digo que fui muito feliz por lá!
    Gisele – do blog – Cai dentro com a Gi
    🙂

  2. Esther 19 de agosto de 2016 at 12:17 pm Responder

    Oi Ricardo.
    Estive em Praga , mas só no centrão turistico e já gostei muito.
    Com essas dicas pretendo voltar e curtir mais.
    Obrigada.

    • Gabe Britto 19 de agosto de 2016 at 7:39 pm Responder

      Que bom, Esther! Tomara que as dicas daqui ajudem! =) Abraço!

Deixe um comentário