O que foi a Revolução de Veludo e onde comemorar a data com os tchecos

A festa acontece todos os anos, mas em 2019 ela vai ser ainda melhor
Destaque, Notícias e curiosidades  /   /  Por Gabe Britto

Entre as tantas datas de destaque no calendário da República Tcheca, uma das mais importantes e o 17 de Novembro, dia de lembrar o início da Revolução de Veludo, a revolta que acabou com 4 décadas de ditadura comunista soviética no que era a Tchecoslováquia.

Como foi a Revolução de Veludo?

Naquele dia, em 1989, 15 mil estudantes tchecos saíram às ruas de Praga para relembrar um massacre cometido pelos nazistas contra outros estudantes, 50 anos antes.

Os ares no país já tinham cheiro de mudanças, afinal a Polônia e a Hungria já viviam a abertura da Cortina de Ferro e até a queda do Muro de Berlim completava 8 dias.

A manifestação destes estudantes estava autorizada pelo regime, mas tinha obrigação de ir até o Cemitério de Vyšehrad e terminar lá. A ordem, porém, foi heroicamente ignorada. Ao invés de seguir a determinação oficial, a multidão caminhou em direção à Praça Venceslau (Václavské náměstí ou Wenceslas Square), o endereço clássico dos protestos em Praga.

Percebendo o que estava por vir, a tropa de choque da polícia se posicionou no meio do caminho, exatamente na avenida Národní třída, uma das mais importantes da cidade. Ali, começou o confronto.

Muitas pessoas ficaram feridas naquela noite, gerando a revolta da população contra a violência dos agentes do governo.

No dia seguinte, como resposta, estudantes de universidades decretaram greve geral, estimulando outras ações de protesto em todo o país. A Praça Venceslau passou a receber mais e mais pessoas indignadas a cada dia, enquanto o governo começava a perceber que o seu poder estava no fim.

Revolução de Veludo em Praga
A Praça Venceslau lotada, em 1989: ao fundo, o Museu Nacional

Em 25 de novembro veio o golpe final: em Praga, quase 1 milhão de pessoas enfrentaram o frio e a neve para comparecer a um protesto no Parque Letná, o que levou o parlamento a mexer na Constituição para permitir que partidos contrários ao regime assumissem o governo.

Após semanas de muitas negociações e de incansáveis protestos (com a população balançando chaves, simbolizando a abertura de portas e o adeus aos soviéticos), um governo de maioria opositora assumiu. E, em 29 de dezembro, Václav Havel, o nome mais forte dos oposicionistas, assumiu a Presidência da Tchecoslováquia com a determinação de levar o país a eleições livres o mais brevemente possível.

Era o fim oficial dos 41 anos de ditadura soviética sobre tchecos e eslovacos.

Por que o nome “Revolução de Veludo”?

A Revolução de Veludo ganhou este nome por ter sido considerada uma revolução relativamente suave e pacífica, quase sem violência (se comparada a tantas outras revoluções sangrentas da história).

Quem era Václav Havel?

Václav Havel era dramaturgo e poeta, mas ganhou fama e respeito internacional por ser o principal nome dos opositores à ditadura.

Esse protagonismo fez com que Havel fosse perseguido e preso várias vezes, mas também o levou a ser escolhido como o líder do movimento civil que negociava com o governo durante a Revolução de Veludo e, logo depois, o levou a ser eleito pelo parlamento como o presidente interino do país, até novas eleições livres.

Nelas, em julho de 1990, foi escolhido novamente, desta vez pela população. Havel ainda foi eleito mais duas vezes e só deixou a Presidência em 2003.

Václav Havel, dentro do Castelo de Praga, acena para a população logo após ser eleito
Havel, dentro do Castelo de Praga, acena para a população logo após ser eleito

Em 2011, depois de quase uma vida inteira dedicada à defesa dos Direitos Humanos e da liberdade no mundo inteiro, foi levado por um câncer.

Em 2016, a praça que fica entre os dois prédios do Teatro Nacional e que é uma área de frequentes eventos culturais em Praga recebeu o seu nome e uma escultura em sua homenagem.

Monumento a Václav Havel, em Praga
Monumento a Havel, na praça que leva o seu nome: local de peregrinação a cada 17 de Novembro

Onde comemorar os 30 anos da Revolução de Veludo, em Praga

Se você tiver a sorte de estar em Praga em 17 de novembro de 2019, quando a Revolução de Veludo completa 30 anos, vai ver a cidade numa festa maior do que o normal, com vários eventos em muitos locais.

Um dos principais momentos vai ser a repetição da marcha estudantil que serviu de gatilho para o início da Revolução de Veludo. Mas para você não se afastar muito das suas atividades turísticas pela cidade, o que recomendo é reservar um tempinho para visitar a avenida Národní třída.

É ali, no endereço onde a polícia atacou os protestantes com uma violência chocante, que os praguenses comemoram a data todos os anos, com muita festa, shows, bandeiras e emoção.

Revolução de Veludo em Praga: criança comemorando
As crianças também comemoram
Revolução de Veludo em Praga: mulher imitando os guardas comunistas
Uma mulher vestida de oficial do regime: hoje, eles são motivo de piada
Revolução de Veludo em Praga: casal dançando tango
Tem até tango na festa

Ah, não esqueça de comprar um pin com as cores da bandeira tcheca, para ajudar a organização que coordena a festa anualmente.

Pin em comemoração à Revolução de Veludo, em Praga
Pin com as cores tchecas

Pertinho, em outro local clássico (a Praça Venceslau), vai haver um longo show misturado com discursos de artistas, políticos, ativistas e pessoas ligadas à data. O início está previsto para as 16h30. O encerramento, para as 21h30.

Para algo mais tranquilo ou até mesmo fora do dia 17 de Novembro, a cidade já está com muitas exposições sobre o assunto. Veja algumas:

  • 1989: Fall of the Iron Curtain
    Exposição sobre a queda da Cortina de Ferro em vários países da região. Local: Castelo de Praga – Palácio de Verão da Rainha Anne (Letohrádek královny Anny) – Rua Mariánské hradby 1 – Aberto das 10h às 18h, diariamente. Até 30 de novembro. Entrada gratuita.
  • Jan Šibík 1989
    O fotógrafo Jan Šibík é um dos mais importantes do país e, naquela época, registrou não apenas a Revolução de Veludo, mas também os eventos que levaram a ela. Local: Prefeitura da Cidade Velha – Staroměstské náměstí 1 – Aberto das 11h às 19h. Até 14 de novembro. Ingresso: 150 CZK (adulto).
  • From Hrádeček to the Castle
    Exposição fotográfica sobre Václav Havel, organizada pela fundação que leva o nome dele e da sua segunda esposa. Local: Igreja de Santa Ana – Zlatá 1 – Aberto das 10h às 16h – Até 24 de novembro.
  • 1989 e Havel for President! The Year 1989 in Photography
    Duas exposições na Galeria Nacional em Praga, com fotos do ano da Revolução de Veludo e da campanha nas ruas para a eleição de Václav Havel. Local: Galeria Nacional em Praga – Rua Dukelských hrdinů 47 – Aberto de terça a domingo, das 10h às 18h (quarta até as 20h) – De 15 de novembro a 16 de fevereiro de 2020. Ingresso: 220 CZK (adulto).
  • Prague 1989 – The Path to Freedom
    Exposição ao ar livre sobre a situação política do país nos anos 1980, principalmente no ano de 1989, é claro. Local: Museu da Cidade de Praga – Rua Na Poříčí 52 – Ao ar livre. Até 29 de dezembro. Acesso gratuito. 
  • November 1989 in the Streets of Prague
    Fotos das ruas da capital tcheca naquele ano. Local: Museu da Cidade de Praga – Rua Na Poříčí 52 – Aberto de terça a domingo, das 9h às 18h. Ingresso: 150 CZK (adulto). Até 26 de abril de 2020.
Sobre o Autor

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.