Etiqueta em Praga e na República Tcheca

As regras básicas de convivência dos tchecos são bem fáceis e, em alguns casos, até de senso comum
Infos gerais  /   /  Por Gabe Britto

Os tchecos também têm as suas tradições, costumes, manias e implicâncias. Para não ganhar olhares de reprovação nas suas férias, veja algumas regras de etiqueta em Praga e na República Tcheca. Elas não são complicadas e várias são apenas questão bom senso mesmo.

 

Etiqueta na Republica Tcheca

Nunca chame a República Tcheca de Leste Europeu.

Os tchecos não se consideram leste-europeus e têm razões para pensar assim.

A história, a religião, a política e a cultura tcheca sempre foram ligadas aos países da Europa Ocidental.

Com exceção da poucos pontos, as características ligadas ao leste são consequência das 4 décadas de domínio soviético sobre o país. Ou seja: além de ter sido algo forçado, o período de tempo não é significativo numa história de mais de 1000 anos de conexão com o ocidente.

Até no aspecto geográfico a presença da República Tcheca no Leste Europeu não se sustenta. O país está praticamente alinhado com a Áustria e está mais a oeste do que a Finlândia e a Suécia, sendo que Praga está completamente a oeste de Viena, de Estocolmo e de Helsinque.

A Europa Central (em amarelo), segundo a definição do World Factbook, da CIA

A Europa Central (em amarelo), segundo a definição do World Factbook, da CIA: República Tcheca bem no meio (arte: Kolja21 – CC BY 3.0)

Não concorda com isso? Tudo bem, mas não importa: se você não quiser se tornar um chato aos olhos tchecos, simplesmente não chame o país de Leste Europeu. Prefira sempre usar Europa Central.

 

Não chame a República Tcheca de Tchecoslováquia

Por favor, atualize seu mapa-múndi: a Tchecoslováquia acabou junto com o ano de 1992. Não cometa essa gafe. Você vai passar vergonha se disser isso a um tcheco.

Bandeiras Republica Tcheca Eslovaquia

À esquerda, a bandeira da República Tcheca; à direita, a da Eslováquia: não são a mesma coisa, viu? (artes: Wikimedia Commons – domínio público)

 

Não aja como se tchecos, poloneses, eslovacos, russos e qualquer outro país ou povo da região fossem tudo a mesma coisa

Eles não são.

 

Não critique o país

Apesar dos tchecos criticarem bastante a República Tcheca e seu próprio povo, eles não gostam que estrangeiros façam o mesmo. É igual ao sentimento que pais têm em relação aos seus filhos: apenas eles podem falar horrores dos seus herdeiros, ninguém mais.

(Convenhamos, brasileiros também são assim.)

 

Não use sapatos dentro de uma casa

Se você for convidado para entrar na casa de um tcheco, tire os sapatos logo no hall de entrada e fique de meias ou aceite uma das pantufas que podem ser oferecidas a você. E se for inverno e seus calçados estiverem sujos, tire do lado de fora mesmo e deixe eles lá. Ninguém vai roubar.

O importante é: nunca, nunca, nunca entre numa casa com sapatos.

Repito: nunca.

Pode até ser que os anfitriões digam que tudo está bem, que você pode ficar calçado, mas isso será apenas uma cortesia, porque na verdade eles vão estar odiando você até o último fio de cabelo.

Etiqueta em Praga e na República Tcheca: não entre de sapatos numa casa

Lugar de sapato é no hall de entrada

 

Não fale alto

Não precisa sussurrar, apenas tenha a certeza de que a sua voz não é a única escutada no ambiente.

 

Fique no lado direito nas escadas rolantes

O lado esquerdo da escada rolante é usado por quem está com pressa e precisa passar à frente. Por isso o lado direito é o lugar para quem prefere ficar parado. Desobedecer essa regra é pedir para ouvir algum xingamento em tcheco.

Etiqueta em Praga: fique à direita na escada rolante

Se não quiser caminhar, fique à direita, sempre

 

No transporte público, deixe as pessoas saírem antes de entrar de metrôs, bondes e ônibus

É mais fácil entrar num metrô, bonde ou ônibus depois que as pessoas saem, certo? Então siga essa lógica e não enfie-se porta adentro antes que todos saiam. Da mesma forma, não fique parado no meio da porta atrapalhando quem quer sair. Vá para o lado e aguarde. O condutor vai esperar que você entre (na imensa maioria das vezes).

 

Se estiver dentro do transporte público lotado, deixe as pessoas saírem

Se for preciso, saia para liberar a passagem e entre de novo depois.

 

Ceda seu assento para idosos, pessoas com necessidades especiais ou mães/pais com crianças de colo

Isso não é regra de etiqueta tcheca: é regra de etiqueta mundial.

Aliás, eu diria para ceder o seu lugar a todos. Lembre-se de que você está de férias. Por mais cansado que você esteja, ainda vai poder dormir mais do que o trabalhador que está voltando para casa depois de um dia de labuta.

Mulher dormindo no banco do metrô de Praga

Um trabalhador cansado merece o banco, não merece?

 

Dê alguma gorjeta

Em restaurante e botecos, o serviço nunca está incluído na conta. Se quiser dar gorjeta, arredonde para cima (aproximando de 10%) e diga o total que você quer pagar. Seu atendente vai trazer o troco conforme o indicado ou incluir no seu cartão.

Em outros serviços, você pode dar gorjeta de acordo com a sua satisfação.

 

Dê bom dia e adeus

Acostume-se a cumprimentar as pessoas, mesmo que elas sejam completamente desconhecidas. Faça isso no hotel, no seu apartamento alugado, em lojas pequenas e médias e em qualquer outro lugar onde a sua interação com alguém seja mais próxima (num elevador, por exemplo).

Não você não precisa dar bom dia para todo mundo numa C&A, é óbvio, mas dê bom dia para quem atender você e também para o caixa.

Para dar bom dia, diga Dobrý den (pronúncia: dobrí den). Para dar tchau, você pode tentar o tcheco Na shledanou (pronúncia aproximada: nas-cle-da-nou). Caso ambos sejam complicados, ataque de Good morning e bye mesmo, mas inclua um sorriso lindo para mostrar que você sente muito por não falar tcheco.

Etiqueta na Republica Tcheca: cumprimente as pessoas

“Ahoj” (árrôi) é informal, fique no Dobrý den mesmo

 

Seja educado, sempre

Isso não é regra de etiqueta, é apenas um conselho geral. Gafes acontecem e qualquer uma delas tende a ser minimizada se você se mostrar um visitante educado e respeitoso.

Sobre o Autor

Deixe um comentário